Adaptação dos pais à creche

Quando falamos de adaptação dos bebês à creche na verdade deveríamos dizer: adaptação dos pais a creche, mais ainda, da mãe à creche.

Esse é um momento muito difícil pois passamos meses grudadas no bebê. Descobrimos dia a dia como o bebê gosta dormir, as horas em que está mais alegre, quando quer ficar quietinho, como prefere de seu banho, brincadeiras favoritas. Enfim. Um longo aprendizado e de uma hora para a outra, geralmente no momento em que a interação entre mamãe e bebê começa a ser de mão dupla, temos que nos separar por um longo período do dia.

Definitivamente isso não está certo, na minha opinião um bebê precisa ficar com a mãe pelo menos por um ano. Mas como é inevitável, voltamos à adaptação à creche.

Posso falar com o distanciamento de já ter passado por isso há 3 anos com a minha filha mais velha e com o envolvimento emocional de estar passando por isso de novo agora, com meu bebê de 6 meses. Não muda nada. É muito difícil, mas o mais importante é estarmos seguras da nossa escolha. Precisamos acreditar que dentro das nossas possibilidades e estilo de vida escolhemos o melhor para o nosso bebê.

E já que escolhemos o melhor é preciso confiar, saber entregar o bebê. Eu sei que isso é muito difícil, mas a pior coisa é a mãe que fica olhando para o bebê como se estivesse deixando ele em um lugar ruim. Você não pode passar essa mensagem para seu filho. A mensagem que você deve passar por gestos, palavras e olhares na hora da despedida devem ser positivas. A criança precisa se sentir segura e a mãe é seu porto seguro. Se ela mostra que está tudo bem, então está.

No fim vemos que os bebês ficam bem, em uma boa creche as profissionais são bastante experientes e rapidamente eles estão adaptados a rotina, principalmente quando são pequenos. E finalmente também constatamos o principal, ninguém nos substitui como favoritas dos nossos filhotes.

Veja também:

Deixe uma resposta